Por toda a Londres do século XVIII, é possível ouvir sussurros e boatos sobre os dons inexplicáveis da família Wherlocke. Mais o Lorde Ashton, um homem com formes convicções, é uma das vozes mais céticas de seu tempo, e tudo caminhava para continuar assim... até encontrar uma bela mulher desacordada, largada no quarto de um bordel.      A mulher misteriosa é Penélope Wherlocke, e seu dom especial a levou para um mundo perigoso de alta sociedade, quando foi sequestrada, tratada como um produto e vendida a uma cafetina criminosa. Ao vê-la, Ashton, ficou enfeitiçado. Algo lhe diz que deveria esquecê-la, mas é atraído cada vez mais para a vida dela, transformando-se em seu protetor.
     Porém, Penélope é uma mulher com ideias próprias, algo que sempre a afastou dos homens de sua época, mas enfim encontra alguém seguro e capaz de lidar com suas habilidades sobrenaturais.


ISBN 97885630066510
Autora: Hannah Howel
Editora: LEYA Lua de papel
Pág: 206
Classificação:



Ter uma faca apontada para o pescoço pode fazer um pessoa enxergar com mais clareza a opinião que tem sobre a própria vida, Penélope concluiu. (pag 07)

Enquanto Penélope voltava da Toca Wherlocke (uma casa onde vivem todos os filhos ilegítimos de seus parentes) é sequestrada por dois Homens que a levam para o bordel da Sr. Cratchitt uma senhora sem piedade. Ao chegar no bordel é arrastada para dentro de um quarto e jogada em cima de uma cama.

Penélope  assim como todos os que pertenciam a família Wherlocke tinha um dom, e o seu dom era de ver fantasmas, assim que entrou no quarto viu um fantasma de uma jovem mulher, com o semblante triste e soube imediatamente que a jovem tinha morrido naquela cama. A jovem se chamava  Faith e lamentava por ter perdido seu grande amor. Penélope tentou avisar para seus sequestradores o que estava vendo, porém eles a deixaram, amarrada na cama.


Apesar  de tudo o que ela tinha visto e experienciado ao longos dos ultimo anos, a visão da adorável jovem, com o vestido branco ensopado de sangue, causou um friozinho na espinha.(pag: 10)

tempo depois a Sr.Cratchitt entra no quarto acompanhada por duas mulheres e a obrigam a beber um líquido que em pouco tempo faz efeito, deixando-a completamente atordoada.

Lorde Ashton Rodmoor estar preste a se casar com Lady Clarissa meia irmã de Penélope não por amor, mais por causa do seu dote, que irá ajudar a sair das dividas que seu pai deixou, Por conta disso seus amigos faz uma surpresa, uma noite de prazeres exóticos em um bordel. Ashton foi levado por duas jovens para um quarto e quando abriu a porta do quarto se deparou com uma visão que o deixou perplexo:



A visão  do corpo nu tinha atiçado uma febre estranha por dentro do seu corpo (Pág. 17)

Penélope estava usando roupas transparente deixando amostra todo o seu corpo jovem, Ashton não resistiu aos encantos e pela a primeira vez deixou seus instintos falar mais alto, o desejo foi multou, mesmo estando drogada Penélope sabia que estava atraída por aquele homem.

O Fogo foi crescendo entre eles, porém mesmo desejando ir adiante com aquele homem, Penélope não queria que acontecesse daquela forma, então  começou a dizer quem ela era e como foi parar alí, no entanto Ashton não acreditou na história que contou, como poderia uma filha de um Marques ser sequestrada e levada para um bordel?

Por um breve momento Ashton tirou de sua cabeça toda aquela estória, e voltou a ser guiado por seus desejos até que um jovem rapaz Ártemis entra no quarto, e toda uma aventura começa!


O que posso falar de um livro, que despertou em mim todas as sensações que um leitor pode ter em um mesmo livro? A Sensitiva foi o primeiro livro da autora que tive o prazer de ler. O enredo foi muito bem bolado, Hannah Howel soube misturar romance, comedia, suspense e aventura em um mesmo livro sem deixar o enredo complicado.

Gostei muito da personagem central do livro,  Penélope uma jovem muito azarenta, no meu ponto de vista, desde que sua mãe morreu sua tutela passou para seu meio irmão Charles, o mesmo que estava roubando toda a sua fortuna. Penélope deixou de ser filha de um Marquês para viver isolada e pobre em quanto seus meios irmãos curtia a boa vida.

Outro ponto que gostei muito foi a toca Wherlocke, ou seja, uma casa onde viviam todos os filhos ilegítimos dos parentes de Penélope, mesmo que todas eles fossem desprezados por suas mães, encontraram um lar e uma mãe em Penélope.

Ashton que no começo não me agradei muito por algumas atitudes, me mostrou ser um cavalheiro honrado e mesmo por não acreditar nos dons que Penélope alegava que sua família carregava não deixou de ajudá-los.

Se eu for falar de tudo o que gostei essa resenha vai ser enorme....

A diagramação foi outro ponto positivo, folhas amareladas, o tamanho das letras perfeita, a capa do livro um encanto, no entanto o que me chamou mais a minha atenção foi o detalhe lindo do livro, a fita de cetim!



Esqueci de tirar uma foto da fita, Então retirei essa imagem do blog: Ressaca literaria, lembrando que no blog tem uma resenha do mesmo livro.


A sensitiva é o segundo livro da série, lembrando que não existe ordem. O leitor pode escolher qual livro que quer ler, cada um tem sua própria estória, á única ligação entre eles é que os personagens principais, pertencem a família Wherlocke.


E para finalizar outro ponto que achei interessante, logo após o final da estória, a editora apresenta um capítulo inteiro do próximo livro, juro que pensei que o livro que estava nas minhas mãos era da editora Harlequin ou da Nova Cultural, pois em seus livros as ultimas páginas sempre tem uma amostra do próximo livro que será lançado.

Fiquei pensando sobre isso, até onde sei as grandes editoras do Brasil não fazem isso, tirando a Harlequin e a Nova Cultural é claro. Então fui para a internet fazer algumas pesquisas, então descobri que a autora tem muitos livros lançados pela a Editora Romances Nova Cultural, ou seja, antes de chegar na editora LEYA, os seus livros passaram pelas as bancas de revista, ou melhor, eram romances de bancas.

Fiquei muito orgulhosa, sou fã de romances de bancas e odeio as pessoas que julgam aqueles livros, por conta da qualidade das páginas que é muito inferior, 

Hannah Howel é uma prova que esses romances de bancas são maravilhosos, e parabenizo a editora por publica-los!





3 Comentários

  1. Adorei sua resenha!!

    Esse lacinho, meu Deus, que lindo!! Dá um charme a mais né!

    Nunca li romances de banca, torço um pouco o nariz para as capas, mas quem vê capa não vê conteúdo realmente, tem muito livro por aí que é péssimo e a capa é linda!

    Dessa série eu li A Vidente e também amei. Tô querendo comprar os outros livros!

    Beijos!

    http://deixaelaler.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jessica,

      Que bom que gostou do livro e espero que um dia um livro de banca te consquiste, eu ainda não tenho a vidente, porém quero comprar todos os 4.

      Um grande beijo

      Excluir
  2. Oi Wanderléa!
    Amei a resenha, gosto quando elas são grandes! hahahaha Amei este livro o Lord Ashton é tão, tão **suspira**<3

    Pena que não comprei os dois últimos ainda, preciso ler eles!
    Beeijos, Paola Severo
    uma-leitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir