Resenha: A Sexta Mulher - Suzannah Dunn

Um romance arrebatador: amor, paixão e corações partidos na conturbada Era Tudor. Com a morte do rei Henrique VIII, sua sexta - e última - mulher, Catarina Parr, torna-se viúva após quatro anos de completa dedicação para manter o complicado casamento. Poucos meses após o falecimento do marido, ela conhece o atraente Thomas Seymour, com quem vive, pela primeira vez, uma arrebatadora paixão. O resultado é um polêmico casamento, alvo de severas críticas. Sua melhor amiga, a duquesa de Suffolk, chamada Catherine, é a mais implacável opositora dessa união, e o motivo de tanta condenação não demora a aparecer: as duas logo revelam-se grandes rivais pelo mesmo homem. E, assim, a discreta e dedicada rainha viúva de Henrique VIII tem sua vida exposta e ameaçada por quem ela mais confiava...



ISBN: 9788501082831
Ano: 2010 / Páginas: 308
Idioma: português 
Editora: Record
Classificação:





Catarina Parr foi a sexta mulher do Rei Henrique VIII e após a sua morte, casou-se novamente com Thomas Seymour gerando um caso polêmico entre as pessoas da corte, sua melhor amiga Duquesa Suffolk Catherine declarou-se contra o envolvimento, porém seu amor era muito grande por sua amiga e mesmo sendo contra, aceitou o convite para visita-los. Ao chegar na residencia Catherine ficou meio que surpreendida, Catarina estava mais linda  do que nunca e era visível o grande carinho que existia entre eles.

Mesmo Thomas tratando tão carinhosamente sua esposa, algo incomodava Catherine, havia algo naquele homem que não a agradava e uma boa parte de sua desconfiança era a má reputação que ele carregava, Porém com o tempo, Thomas começa a ter certas liberdades com a Duquesa que inicialmente ignorava, até que um beijo entre eles acontece, dando inicio ao um romance proibido, tornando as melhores amigas em rivais até certo ponto, pois a autora não especifica se a Catarina Parr realmente estava a par da situação que envolvia sua melhor amiga e seu marido.

“Havia uma sensação de encaixe entre nós: não apenas físico, embora, definitivamente, houvesse isso. Não sei como é que eu vivia os minutos com ele fora de mim, sem aquela fricção luminosa me penetrando. Eu o puxava para dentro, o arrastava para mim. Minha ânsia me chocava e deleitava. Eu, a fria e calculista Catarina.” Pág 156


A Sexta Mulher é um livro que narra a vida de Catarina Parr sob a respectiva da sua melhor amiga a Duquesa Suffolk (Catherine). Ao ler a sinopse pensei que o enredo daria ênfase a Rainha viúva porém a vida de Catarina Parr fica em segundo plano, não consegui me conectar com a personagem em questão, apenas assimilei a visão que a Duquesa tinha de sua melhor amiga.  

No inicio da leitura simpatizei-me muito com a Duquesa, porém alguns capítulos depois, vi o quanto era egoísta, traidora e talvez invejosa em alguns momentos. Ela sempre dizia o quanto sua amiga teve sorte na vida e mesmo que Catarina Parr tivesse a sorte de sido casada com um rei, foi ela: Catherine que conseguiu algo que sua amiga até então não havia conseguido: Gerar herdeiros.

Querendo ou não era a missão da mulher, gerar herdeiros. Por mais que Catherine faça declarações de amor a Catarina, em alguns pontos do livro eu sentir realmente que havia uma certa inveja e até mesmo uma magoa partindo da Duquesa talvez esse ressentimento era pelas escolhas de Catarina preferir viver uma vida longe da corte para viver uma vida confortável no seio familiar. 

Mesmo por ter tantas resenhas negativas sobre o livro, eu gostei. Pois, o meu foco era o triangulo amoroso e não se o livro era fiel a era Tudor, até porque se eu quisesse saber sobre a era Tudor seria bem melhor eu ler um livro de conteúdo Histórico sobre a época e não um romance. 

Agora em minha opinião teria sido melhor se a autora não tivesse tentando elaborar uma biografia de Catarina Parr sob o ponto de vista da Duquesa. Outro ponto que não gostei muito foi á longa narrativa, o enredo só foi andar mesmo nos últimos capítulos e isso meio que  desafiou a minha paciência.

A sexta Mulher é o segundo livro de uma série 




A escrita da autora Suzannah não é tão instigante, porém tem um certo carisma! no meu caso sempre adorei ler romances históricos cheios de romances e paixões avassaladoras, porém a autora quis fazer algo diferente, ela descreve nas ultimas folhas do livro: A sexta mulher, que gostaria de escrever um livro que não tivesse somente mulheres apaixonadas com respirações ofegantes. 

E ao meu ver ela conseguiu, Quando comecei a ler e observar que a Duquesa sempre tinha argumentações sobre suas escolhas percebi que o enredo era  uma trama quase psicológico.

Talvez eu tenha entendido o que realmente a autora quis mostrar nesse livro, em vez de decora-lo com suspiros e declarações de amor. Queria focar mais nos pensamentos e ações ou melhor, quis retratar até onde uma pessoa iria para defender os seus objetivos e alcançar o seus sonhos.

Levando para esse lado, gostei muito do livro, só não sei  se eu voltarei a ler outras obras da autora.


Um comentário:

  1. Fiquei bem curiosa para ler esse livro, apesar da Duquesa não parecer ser a melhor das pessoas.

    Beijo! ♥
    http://raciocina-comigo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir