Sinopse: O nome dela não é Valery Green. Também não nasceu no Kansas, e sua família toda não morreu num acidente de carro onde ela foi a única sobrevivente. Nascida num mundo de trevas e segredos apocalípticos, a garota feita de mentiras luta dia após dia para ter uma vida longe de sua verdadeira identidade e de seu dom misterioso, o qual ela julga como uma maldição.
Por cinco anos, ela conseguiu. Escondida na pacata Darkville, tornou-se uma respeitada Detetive, conhecida por sua frieza e eficácia no trabalho. Seu companheiro Axel parece ter orgulho de trabalharem juntos, até ficar frente a frente ao que encontraram
na busca daquela noite - um demônio dentro de uma garotinha.
Para ajudar a pequena Anastacia, Valery terá que colocar em risco o trabalho na polícia e seu relacionamento com Axel, recorrendo à ajuda do Padre Henry Chastain, um velho conhecido. Desenterrando um passado cheio de exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios, esse reencontro não promete ser feito de abraços e boas-vindas. Chas, como ela o chama, é conhecido como o maior Exorcista vivo - a Espada de Sal do Vaticano, e é sua única esperança de lutar contra o novo inimigo, mas também representa
o ponto fraco de si mesma e o acesso a um passado doloroso que pode despertar seus próprios demônios interiores.




Novamente a autora Juliana Daglio me surpreendeu, é perceptível seu amadurecimento. Aqui temos uma história mais dark, com pinceladas de terror e suspense. Não sou muito fã desde tipo de gênero, no entanto, Valery Green conseguiu puxar o meu interesse. Não vou mentir que tudo que a autora escreve me agrada, acho que é porque ela consegue transmitir em palavras a mente humana (o lado obscuro). Resumindo, quero muito saber a continuidade da história e mergulhar nesse mundo cheio de exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios.

                                  

Eu queria poder dizer mais do enredo, mas quem me conhece sabe, que não gosto de soltar o enredo nas primeiras impressões. Até porque a sinopse já tá revelando muita coisa. Se você leu:  Uma canção para Libélula  e gostou da forma poética que Juliana escreveu essa belíssima história, tenho certeza que vai gostar muito desse novo projeto: Lacrymosa.
  



Um Comentário

  1. Sua lindaaa! Muito feliz que gostou e que notou um amadurecimento na escrita.
    Muito muito obrigada por ter lido e resenhado, de coração <3

    ResponderExcluir