Tudo Cansa, até livros!

Sou uma leitora desde que eu me entendo por gente, sempre amei ver e cuidar da minha pilha que virou uma biblioteca de quase 500 livros. Após virar blogueira literária conheci um mundo que tinha e tem a minha cara. Só que, infelizmente de uns tempos pra cá venho desmotivada com a leitura, não consigo ler um livro até o final e por causa disso o blog se tornou o reflexo do meu descontamento. No entanto, após algumas reflexões percebi que o problema não era e nunca foi comigo ( não totalmente) mais a mesmice que se tornou o mercado literário com tantos livros com histórias parecidas. Quando um certo tipo de história faz sucesso, logo através vem uma enxurrada de autores que querem embarcar no mesmo barco.


Outra coisa que vem acontecendo e que sinceramente (na minha humilde opinião) acho desnecessário é as tais das séries e suas continuações que na maioria das vezes é puro capitalismo por parte das editoras e de alguns autores.n Já perdi a conta de quantas vezes li uma série que depois do 3º livro a história já não fazia mais sentindo, o próprio autor viaja na maionese. 

Cansei de histórias com continuações infinitas, se você parar para refletir verá que os grande clássicos não tem continuações. Pelo contrário, um livro de 300 páginas muita das vezes se torna uma verdadeira saga. Exemplo disso é o livro:


Um história primorosa, singular e impar. A escrita da autora Raquel Queiroz é gostosa de ser lida, sem muitos arrudeios, afloreios. Não quero dizer que estou odiando os livros da atualidade, longe de mim, pelo contrário, tem muitas histórias que são dignas de serem roteiros de cinema.

A literatura nacional está ficando muito americanizada, e sinceramente na minha visão isto é triste! Quando pego um livro nacional para ler busco referencias brasileiras, cidades e costumes da minha terra, fico muito decepcionada quando não vejo isso.

Machado de Assis, José de Alencar, Raquel de Queiroz, Joaquim Manuel de Macedo tantos escritores brasileiros que se tornaram imortais, conhecidos mundialmente e o que eles fizeram? escreveram  sobre a cultura e a sociedade brasileira. É justamente isso que não estou vendo, o que eu vejo são histórias de executivos ricos, totalmente sádicos que encontram uma jovem de 18 anos abestadinha ( tolinha) virgem que depois de algum tempo ficam totalmente apaixonados ao ponto de abdicarem de tudo para ficar com ela. Tenho certeza que você já deve ter lido muitos livros com essa mesma estrutura de história.

O pior não é isso, é a falta de emoção no enredo com personagens sem profundidade, sem alma. Capricham tanto na capa, que a qualidade na escrita fica em ultimo lugar. Quando não é tudo isso, são autores imaturos que não aceitam resenhas negativas. Algumas vezes penso que a criatividades dos nossos autores deu o que tinha que dar.




Nenhum comentário