Resenha: No seu pescoço



Imagem relacionada
Foto retirado do blog de livro em livro
A escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie vem conquistando um público cada vez maior, tanto no Brasil como fora dele. Em 2007, seu romance Meio sol amarelo venceu o National Book Critics Circle Award e o Orange Prize de ficção, mas foi com o romance seguinte, Americanah, que ela atingiu o volume de leitores que a alavancou para o topo das listas de mais vendidos dos Estados Unidos, onde vive atualmente. Ao trabalho de ficcionista, somou-se a expressiva e incontornável militância da autora em favor da igualdade de gêneros e raça. Agora é a vez de os leitores brasileiros conhecerem a face de contista dessa grande autora já consagrada pelas formas do romance e do ensaio. Publicado em inglês em 2009, No seu pescoço contém todos os elementos que fazem de Adichie uma das principais escritoras contemporâneas. Nos doze contos que compõem o volume, encontramos a sensibilidade da autora voltada para a temática da imigração, da desigualdade racial, dos conflitos religiosos e das relações familiares. Combinando técnicas da narrativa convencional com experimentalismo, como no conto que dá nome ao livro - escrito em segunda pessoa -, Adichie parte da perspectiva do indivíduo para atingir o universal que há em cada um de nós e, com isso, proporciona a seus leitores a experiência da empatia, bem escassa em nossos tempos.

Título: No seu pescoço
Páginas: 240
ISBN: 9788535929454
Selo: Companhia das Letras
Classificação:


Olá meus amores! A resenha de hoje é sobre esse livro que já me encantou não só pelo o título e capa, mas pelo o contexto da obra. Eu nunca tinha lido nada da autora Nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie até que vi essa linda capa.

No seu pescoço reúne 12 contos onde homens e mulheres nigerianos fazem questionamentos sobre machismo, opressão, racismo, nacionalismo e as diversas crenças religiosas. Narrado em segunda pessoa faz com que o leitor se sinta conectado ao enredo, aumentando a empatia pelo os personagens e história. Particularmente tenho um apreço muito grande por histórias de outras culturas principalmente quando essas histórias envolve a cultura Africana, infelizmente não vejo tantos livros que tocam nesse assunto, então quando conheço não quero perder tempo.

É surpreendente como a autora sabe envolver e manter a atenção do leitor nas suas histórias, cada conto o leitor é levado a conhecer uma nova nuance, seja pela característica da personalidade de um personagem ou pela sua história. A forma que a autora escreve é tão humana, crua e ao mesmo tempo simples que é capaz de fazer com que o leitor sinta na pele o machismo, a opressão, o racismo que sabemos o quanto o povo negro sofre até mesmo no seu próprio País.

O conto: Uma experiência privada conhecemos Chika uma jovem estudante que estava a passeio junto com sua irmã Nnedi na casa de sua tia, em uma tarde as duas resolvem visitar uma parte da cidade, rapidamente o clima do lugar muda, uma onda de violência faz com que as duas se afastem, Chika corre em uma direção oposta e se abriga em um loja abandonada, encontrando uma outra mulher na mesma situação, essa mulher era muçulmana, enquanto ela é cristã, um encontro que poderia ser nada agradável já que a onda de violência era justamente por causa da intolerância religiosa. Mas para a surpresa de Chika aquela mulher não representava nenhum perigo, pelo contrário não havia muitas diferenças entre elas.

No conto: A cela um, representa muito bem a diferença de criação e afeto entre dois irmãos, essa diferença era justamente porque um dos dois era do sexo masculino -Nnamabia mesmo após ter roubado as joias da mãe e feito várias coisas erradas, sempre saiu impune. Percebemos essa diferença de amor ao longo do conto narrado pela irmã de Nnamabia que deixa claro a insatisfação que ela tem com seus próprios pais por serem incapazes de ir contra seu irmão, mesmo ele indo preso.

Ao longo do livro conheceremos várias histórias e episódios que farão nossa sede de justiça crescer e principalmente nosso senso crítico será convidado a sair da caixinha, além de ser uma verdadeira montanha russa de emoções. O único problema desse livro é que você deseja que cada conto fosse na verdade um livro, pois os personagens conquistam facilmente o leitor e o desejo de saber mais sobre eles e a curiosidade do que vem além cresce á cada página.




23 comentários

  1. Ola
    Que dica maravilhosa, a capa é linda e leria mesmo sem saber do que se trata.
    Adorei sua resenha e já estou curiosa para saber mais e mais.
    Dica anotada.
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito dessa resenha por se tratar de fatos do nosso cotidiano. Muito interessante a abordagem do autor que.usa as histórias que estão ligadas as nossas realidade em nosso meio como o racismo,a intolerância religiosa,educação na família etc.muito bom!Abraço!!

    ResponderExcluir
  3. Excelente escolha. Experimentalismo é sempre interessante, mesmo que dê errado (o que não parece ter sido o caso). É relativamente raro ver obras que se propõe a apresentar alguma coisa diferente das ideias de romance e vingança e que dão certo. Que ótimo que a descrita aqui apresenta temática mais conectada com o mundo real e consiga angariar bom público mesmo assim. Ainda, belíssima capa. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito de livros no formato contos e esse ganha pontos a mais de interesse por tratar de temas tão pertinentes na atualidade. Concordo com os colegas, a capa é mesmo belíssima.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Acho que esse é o único livro da autora que ainda não li! Quero muito ler esse livro de contos dela, com certeza são muito bons *______*
    PS: a Companhia das Letras capricha nas capas dos livros dela né, nossa, muito lindas <3

    ResponderExcluir
  6. Wan adoro leituras que provocam nosso senso crítico e nos faze devorar as páginas!!!

    ResponderExcluir
  7. Está aí um livro da minha meta de leitura que estou louca para ler.
    Amei sua resenha muito bem pontuada e instigante.
    Essas leituras mais densas e reflexivas sempre me agradam.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Não sou a maior fã de contos, mas por causa so blog tenho lido cada vez mais livros nesse formato e estou começando a me adaptar. Enfim, achei a capa e a premissa maravilhosas, um assunto tão antigo e tão atual ao mesmo tempo em uma cultura pouco explorada e apresentada aqui na nossa terra. Já inclui na lista de leitura e vou ler com certeza. Obrigada pela dica incrível.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Essa autora está com tudo! Quero muito ler algum livro dela. Esse me chamou bastante atenção, pois gosto de livros que abordam os temas citados. Vou anotar a dica!

    Beijos,
    Narah - www.lerantesdedormir.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá,

    Eu amo os livros dessa mulher <3
    Tudo que ela escreve é para mexer na ferida da sociedade.
    Ela fala sobre racismo, intolerância religiosa, machismo, feminismo e tantos outros problemas que se situam em uma única palavra: RESPEITO!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi Wanderléa! Eu comprei um livro recente da Chimamanda, que é o Sejamos Todos Feministas e estou louca pra ler. Na verdade, sou louca pra ler algo dela, desde que escutei um pedaço de um texto dela em uma música da Beyonce. E adorei essa dica que você trouxe. Já amo livros de contos e sendo de uma autora que estou louca para conhecer melhor, é uma pedida direta para a wish list. Acho importante a gente ler e debater os temas que ela aborda. Ótima resenha! Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Olá, Wanderlea! Tudo bem?
    Depois que li “Sejamos todos feministas” e “Como educar crianças feministas
    (acho que é esse o título) não quero mais deixar de ler Chimamanda.
    Esse ainda não li, mas com certeza irei ler. Me interessa muito.

    Bjão,
    Diego | Blog Vida & Letras
    www.vidaeletras.com.br

    ResponderExcluir
  13. Gosto de contos e ainda mais quando ele foge da minha zona de conforto. Nunca li nada dentro do estilo com personagens nigerianos e assim como você, conhecer outras culturas me agrada muito. Acho que o fato da autora ser humana e pelo visto direta com sua escrita é ainda mais interessante e me desperta curiosidade pela narrativa. Então anoto a dica.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Acho bem legal dar espaço pra autores de países não tão convencionais na literatura. Esse livro é uma prova de que há muita coisa boa escondida por aí.

    ResponderExcluir
  15. Oi Wanderléa, tudo bem?

    Ainda não li nada da Chimamanda, mas tenho muita curiosidade em conhecer a escrita da autora, que parece ser maravilhosa e os comentários são muito positivos. Não sabia muito a respeito do livro e saber que relata contos já me deixa mais animada, pois adoro esse gênero. É triste ver que a intolerância religiosa ainda consegue destruir vidas. Acho que me encantaria pela obra!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Eu acho essa capa maravilhosa <3
    E mesmo não lendo contos com frequência, é uma leitura que pretendo ler em breve <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  17. Eu tenho muita vontade de ler algo dela e adorei a sua resenha, com certeza é um livro que eu preciso ler urgentemente. Achei a capa dele maravilhosa.

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?

    Eu já li algumas resenhas de livros da Chimamanda, os livros dela parecem ser bem envolvente, tenho vontade de ler algo dela. Gostei da sua resenha, está de parabéns!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Vejo muito sobre a Chimamanda e como a escrita é muito bem desenvolvida e abordando bons temas, trazendo bastante reflexões.
    Fico curiosa com suas narrativas e quero ter oportunidade de realizar a leitura desse livro.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  20. Eu li um livro dela e estou louca para ler outros. Este eu não tinha visto ainda, e claro vou anotar o nome.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  21. Chimamanda é uma das minhas autoras favoritas, Hibisco Roxo é um livro que PRECISA ser lido por todos, tô pra ler No seu pescoço porque só vejo comentários positivos e sei que vai me tocar profundamente, ela é uma mulher negra incrível e que só sinto orgulho por viver na mesma época.

    ResponderExcluir
  22. Oi, tudo bom?
    Eu sou louca para ler os livros da Chimamanda, mas ainda não tive a oportunidade. Adorei sua resenha e adorei conhecer um pouco mais sobre essa obra da autora. Vou anotar a dica para na próxima comprar já adquirir esse livro e finalmente conhecer a escrita dela.

    Beijos!
    https://www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  23. Já tem um tempo que estou louca para ler algum livro da Chimamanda, preciso me segurar para não comprar todos de uma vez ahaha Adorei a sua resenha e fiquei com ainda mais vontade de ler os livros da autora, acho que vou começar com No seu pesçoco mesmo <3

    ResponderExcluir