Falando sobre romance Dark + Resenha: A escrava

 
ESTE É UM ROMANCE DARK:
Contém cenas de sexo explícito, estupro, violência física e psicológica.
Linguagem inapropriada para menores de 18 anos.
Leitura não recomendada para pessoas sensíveis.

Essa não é mais uma história de amor.
As próximas páginas não narrarão o encontro entre um homem e uma mulher que se apaixonam perdidamente e após superarem muitos obstáculos vivem felizes para sempre.

Hugo é tão e somente, um homem com um propósito que está longe de ser um ato de caridade. Três pilares sustentam sua vida: Poder, dinheiro e prazer.
São eles que regem seus passos, e não há nada capaz de desviá-lo do rumo que foi traçado para o seu futuro, desde o dia em que nasceu.
Mas, quando uma linda e inocente brasileira cruza o seu caminho, a vida do herdeiro da máfia colombiana sofrerá grandes e perigosas mudanças.

Pitanga é a mulher que passou mais da metade da sua vida servindo.
A escrava submissa que teve a infância e inocência roubadas por quem deveria protege-la. Foi treinada para saciar a fome e obedecer às ordens do homem que a tomou para si quando era apenas uma criança, e se intitulou: Seu dono.
Ela não tem mais esperanças, mas um jovem estrangeiro invade seu porto seguro e decide provar que o mundo é muito maior do que Pitanga imagina.

Sonhos foram roubados, corpos violentados, direitos violados, corações quebrados e almas corrompidas. Aqui, você descobrirá o real sentido das consequências de um trauma e ouvirá todos os pedidos de socorro, ignorados. Conhecerá de perto a face da maldade e, se tiver sorte, poderá encontrar o mais puro amor.
Mas lembre-se, essa não é uma história bonita e, assim como na vida real, não há garantias de um final feliz.

ISBN: B083S39KTZ
Ano: 2020 / Páginas: 560
Idioma: português
Editora: INDEPENDENTE

Não vou fazer resumo da obra, apenas comentar a minha opinião sobre a história!


Um título que mudou a minha opinião sobre o gênero dark (por enquanto). Mas antes de continuar, gostaria de conversar sobre esse gênero. O que seria um romance do gênero Dark? Da minha parte existem muitas dúvidas, infelizmente por mais que eu pesquise, não encontro realmente algo que defina e explique tim por tim. Encontro apenas textos que não entram em consenso. A única certeza que tenho é que esse gênero está se popularizando no Brasil agora e vem causando uma verdadeira muvuca, claro que isso vai depender muito do autor e de sua escrita.

Particularmente tentei ler alguns livros do gênero, odiei a experiência! Por causa das histórias que não cheguei a finalizar, passei a ver o romance dark de uma forma negativa, até porque às emoções que eu sentia não era nada agradáveis, além das loucuras que os autores descreviam. Sempre devemos dar asas a imaginação, mas tudo tem e deve ter limites! 

- Relacionamentos abusivos.

- Crianças gostando de ser molestadas.

- Mulheres que adoram serem estupradas.

Nada disso é normal. Nada disso é romântico. Tudo isso é errado, é loucura, é nojento. 

A escrava é o primeiro romance dark que me fez sentir vontade de continuar a leitura, apesar dos acontecimentos que são bem pesados, não tive desejo de abandoná-lo e seguir para a próxima leitura.

Sempre considerei esse gênero (minha opinião) repulsivo, até porque todos os livros que li antes desse, encontrei autores que passaram pano para o estupro, para a síndrome de Estocolmo, além de outros fatores preocupantes que me deixaram duvidar sobre a saúde mental do autor.

Mas no caso desse livro, apesar dos sentimentos de raiva e tristeza senti vontade de continuar a leitura, de querer saber mais sobre Hugo e sobre Aisha (Pitanga) e o que o futuro reservava para os dois.

Confesso que inicialmente pensei que Hugo seria mais um boy tóxico, mas acabou se mostrando ser totalmente diferente. Ele está longe de ser um ideal de homem, Hugo assim como pitanga foram vitimas das circunstâncias, mas a diferença de Pitanga para ele, é que ela apesar de ter sofrido tudo o que sofreu conseguiu dar a volta por cima sem ferir ninguém. Hugo por outro lado, se tornou o opressor.

O livro é bem escrito, tem muita carga dramática, vários  momentos violentos, picantes e alguns momentos carregado de doçura.

Eu poderia fazer várias análises entre Sebastião (o homem que raptou Pitanga e a violentou por vários anos) e Hugo, dois homens que tem um passado complicado, com personalidades diferente mais com mentes igualmente maquiavélicas. No entanto seria um post só para eles!

Adorei a carta da autora, principalmente seu aviso informando sobre gatilhos e buscando explicar sobre o relacionamento entre pitanga e Hugo, isso mostra a preocupação da autora com seus leitores.

A escrava é um livro que vai mexer com seus sentimentos, vai ter momentos em que você vai delirar de prazer, e em outros vai querer esquecer.

Será que irei ler outros livros do gênero?

Sinceramente não sei!
Não me sinto confortável em ler esse tipo de livro, o que fez eu ter gostado da leitura foi a autora logo no inicio explicar que não se tratava de uma história de amor, e de cara informar que Hugo não deve ser visto como mocinho. É justamente isso que me encantou, uma autora que não passou pano e sabe que o que o personagem fez e faz é errado.

Nenhum comentário