Li o livro sol & sombras do autor Aliel Paione Será que eu gostei?

 

Depois do sucesso de Sol e Sonhos em Copacabana, primeiro livro da Trilogia do Sol, o escritor mineiro Aliel Paione lança Sol e Sombras. Neste segundo volume da série, conhecidos personagens dos leitores voltam à narrativa: Verônica e Henriette, mãe e filha, que agora dividem o amor de João Antunes, personagem principal da história.

O romance ganha uma carga dramática intensa com a dualidade psicológica dos protagonistas – ao sol e à sombra das emoções – e com os relatos políticos e históricos vividos no Brasil no início do século XX.





Ano: 2020 / Páginas: 453

Idioma: português

Editora: Pandorga




Instável e caprichoso dois adjetivos que escolhi para o enredo e principalmente para os personagens do autor Aliel Paione.


Sol & Sombras narra a história do jovem gaúcho João Antunes, filho de imigrantes açorianos, dono de uma beleza ímpar e de uma personalidade carismática e sensível.  Na tentativa de realizar seu desejo de ter uma vida mais próspera, ele embarca em um jornada saindo do Rio Grande Sul para trabalhar num garimpo em Cavalcante, Goiás. 

É nessa cidade interiorana, onde algumas vezes presente, passado e futuro se encontram, que João Antunes conhece Henriette uma jovem dama que tem um tipo de comportamento e pensamentos bem a frente da sua época. Conquistado pela beleza da jovem o nosso protagonista cai de amores, esquecendo da namorada que deixou para trás.

Enquanto João Antunes tenta a sorte em Cavalcante, sua vida gira 360 graus, seu coração se torna uma terra cheia de incertezas e dúvidas e tudo piora quando ele conhece Verônica, a belíssima mãe de Henriette, um mulher que transpira sensualidade.

Seu coração fica divido entre as duas mulheres, entre mãe e filha. 


Sol & Sombras foi a primeira experiência que eu tive com a escrita do autor Aliel Paione. Apesar de ter iniciado a leitura com o livro 2, ela não foi prejudicada, pois, apesar de ser uma trilogia, cada livro tem sua própria história e a única ligação são os personagens que se cruzam em algum momento do enredo.

Quando fui selecionada para fazer parte da leitura coletiva desse livro fiquei um pouco "com pé atrás", pois eu tinha lido na sinopse que o enredo tinha como pano de fundo a tensão política que o Brasil sofria na década de 20. Devo confessar que não sou muito fã de política!

Mas, para minha surpresa, Aliel Paione dosou muito bem esse assunto. Temos algumas informações históricas, mas não se tornaram o tema central da obra. O objetivo do romance é narrar a saga de um jovem em busca de si mesmo, e que no meio do caminho se depara com um mundo desconhecido e sentimentos conflitantes.

Por falar em sentimentos conflitantes, iniciei amando muito João Antunes, apesar de ser um "homem da terra", tem uma alma sensível e um grande coração - a prova disso é quando ele conhece Cocão, o homem que realmente vai mudar a vida dele em todos os sentidos.

Personagens

Os meus sentimentos para com Antunes mudou ao longo do enredo, terminei a leitura sem acreditar nas decisões que ele tomou. De um homem com coração enorme, sensível e honesto aos meus olhos - minha opinião como leitora - ele se tornou um homem egoísta e que não leva os sentimentos dos outros em consideração. 

Henriette aos meus olhos é uma mulher decidida. Apesar de ter um gênio forte, ao mesmo tempo ela é tão frágil quanto uma porcelana, e é visível por sua ações, por mais estranhas que sejam, que ela realmente amou João Antunes.

Cocão/Marcos - um personagem que merecia mais atenção, apesar da longas falas dele. Gostei muito da sua personalidade e seu jeito doce.

Verônica - Odiei ela desde o primeiro momento, tudo o que ela fez e faz é de extremo egoísmo (tudo bem que a vida dela não foi fácil, sua beleza sempre foi seu carma), mas não é desculpa para agir da forma como agiu, para mim ela é a personificação da futilidade e suas ações não foram nobres por mais que ela tentasse. Ao meu ver, ela é o tipo de pessoa que sempre vai se colocar em primeiro lugar, mesmo que cause a infelicidade da sua própria filha.

Particularmente gostei muito do enredo, a escrita do autor brincou com os meus sentimentos, pois a forma como ele descreveu a cidade de Cavalcante mexeu com algumas de minhas lembranças, por varias vezes me senti vivendo entre as pessoas daquela localidade.

Além disso, tive uma grande surpresa, Aliel Paione aborda a temática LGBTQI+ tendo como representante Marcus que se apaixona perdidamente por João Antunes, no entanto, não é só a paixão não correspondida que é abordada, mas a homofobia que infelizmente Marcus sofria.

Só não favoritei o livro por alguns motivos - ALERTA DE SPOILER

Houve alguns comportamentos dos personagens, sendo mais direta: Henriette e Vêronica que quebraram a sensação de veracidade do enredo. Ao meu ver, não é normal o comportamento de Verônica quando Henriette explode e confessa tudo o que fez. Assim como quando Henriette descobre que seu namorado João Antunes se apaixonou por sua mãe e que esse sentimento é correspondido, faltou emoção. Se eu estivesse no lugar da Henriette teria feito uma confusão!

Tirando isso adorei o enredo, fiquei com muita vontade de conhecer o primeiro livro e também ler o terceiro. Aliel Paione tem uma escrita gostosa, mesmo sendo tão detalhada e floreada o que para alguns leitores pode ser algo negativo, mas para mim, é perfeito! Seu estilo me lembrou muito o da autora cearense Emília Freitas (Rainha do Ignoto).

Termino essa resenha com sentimento de saudades, pois foram noites acompanhando a trajetória de João Antunes.


Sobre o autor

Aliel Paione - engenheiro e mestre em Ciências e Técnicas Nucleares pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Trabalhou com salvaguardas nucleares na estatal Nuclebrás e foi professor de Física na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas).

Instagram: Aqui



7 comentários

  1. Olá, tudo bem? Parece ser realmente interessante, apesar de que igual a você, ficaria com um pé atrás primeiro por conta dessa questão política. Sua resenha foi muito bem pontuada, e apesar das ressalvas me sinto ainda atraida por ele. Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. OIii!

    Eu não conhecia a obra, mas não sei se leria no momento... Eu tbm não sou muito chegada em obras que relata sobre politica dependendo do contexto, fiquei feliz que foi uma forma bem dosada. Mas essa questão de amar mãe e filha me incomoda num nivel extremo...
    Mas gostei de conhecer sua opinião sobre o livro e a sinceridade na resenha!

    Beijinhos,
    Ani
    www.entrechocolatesemusicas.com.br

    ResponderExcluir
  3. Me segurei pra não ler as partes com spoilers porque o livor me interessou demais. Adoro cenários brasileiros e fiquei curiosa com a jornada do protagonista. Já quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Que capa linda menina, não conhecia esse livro e nem o autor. Adorei a premissa,mesmo com questões políticas, parece ser uma história otima.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia a obra, nem o autor, mas parece ser uma história intensa e surpreendente com um enredo fluído e repleto de surpresas.Anotei a dica para ler futuramente.

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia a obra, mas confesso que ela não me atraiu muito. Não digo que não pareceu interessante, é que não pareceu o suficiente para eu querer ler. Dessa vez passo a dica!

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Eu recebi esse livro da editora Pandorga e no início me chamou muita atenção a capa, pois achei bem linda. O escritor em questão foi uma novidade positiva para mim, pois li e curti. Gostei de conferir a sua resenha e opinião sobre a obra!
    Abraço!

    ResponderExcluir