Olá sonhadores essa resenha foi feita no dia 3 de fevereiro de 2013 e foi publicado em outro blogger que eu tenho o mundo da léa, estou retirando as resenhas dele e passando para esse, pois o mundo da léa terá outro foco.





Sinopse

Poucos meses depois de seu casamento, Constance Chatterley, uma garota criada numa família burguesa e liberal, vê seu marido partir rumo à guerra. O homem que ela recebe de volta está paralisado da cintura para baixo, e eles se recolhem na vasta propriedade rural dos Chatterley. Inteiramente devotado à sua carreira literária e depois aos negócios da família, Clifford vai aos poucos se distanciando da mulher. Isolada, Constance encontra companhia no guarda-caças Oliver Mellors, um ex-soldado que resolveu viver no isolamento após sucessivos fracassos amorosos. 










Por esses dias deixei de lado o livro cinquenta tons de cinza com todo o seu erotismo e fui terminar de ler o livro O AMANTE DE LADY CHATTERLEY do Autor D.H. Lawrence. É um livro de romance com uma pitada de erotismo, obviamente que nos dias de hoje podemos dizer que é um erotismo muito básico, isso se você colocar de frente com os livros atuais do mesmo gênero.

O Livro foi escrito no começo do seculo xx mais exatamente no anos de 1915 e 1928 e foi um livro censurado naquela época, David Herbert Lawrence, foi marcado como um autor maldito, pervertido e pornográfico. Os livros que falavam algo mais íntimo ou um livro que estava fora dos costumes e da moral da sociedade daquela época era considerado ruim e pornográfico mais que hoje são considerado clássicos pois mesmo depois de tanta repreensão eles ainda sobrevivem e mostram um lado da sociedade que era proibido: os pensamentos secretos, sexo explícito, intimidades de um casal enfim algo que hoje é normal, mais que a 100 anos ou mais era proibido de ser comentado em público.

Bem, nunca demorei tanto para ler um livro como demorei a ler esse, muitas vezes perdi a vontade de ler, não sei porque esse livro foi tão proibido pois são poucas as páginas que mostra a intimidade dos personagem no restante o autor e os personagens filosofam demais, principalmente o personagem Clifford o esposo de lady chatterley, tive uma impressão que o autor fez esse livro foi para apunhalar a sociedade daquela época, ele juntou duas coisas o seu desprezo pela a sociedade moralista e o desprezo deles sobre o sexo. O livro detalha como nós mulheres eramos vista perante a sociedade masculina eramos consideradas fúteis, seres sem inteligência e só servíamos para momentos de sexo que tinha como foco, conceber herdeiros Homens.

É um livro que posso dizer que é chato e empolgante ao mesmo tempo, claro que a filosofia que o autor faz é importante para sabermos como era a cabeça da sociedade conservadora da Inglaterra no seculo XX.

Você tem que ler esse livro calmamente pois se não, você não vai entender nada.




As Diferentes capas do livro







2 Comentários

  1. Quero muito ler D. H. Lawrence. A única coisa que li dele até hoje foram alguns poemas avulsos na internet, bem interessantes.
    Lendo hoje, é difícil entender por que certas obras foram banidas ou alguém tentou bani-las. Mas lendo como um cidadão da época, que nunca leu sexo explícito ou viu sua própria cultura e moral satirizada de tal forma (num período em que moral ainda significava algo muito mais repressivo e fixo que hoje em dia - e hoje ainda formamos uma sociedade bem moralistas, até excessivamente em alguns aspectos), é compreensível. Mas, por outro lado, é como disse Allen Ginsberg (que teve um dos seus poemas, Uivo, levado a julgamento por obscenidade), censurar um livro é o mesmo que transformá-lo em um clássico instantâneo; a proibição não faz nada além de incitar a curiosidade.
    De qualquer forma, acho livros sutis como esse muito mais eróticos que 50 tons de cinza, que chega a ser chato de tão repetitivo. É até triste que um livro desses seja considerado motivo de escândalo hoje e meio que reflete o que eu disse sobre ainda estarmos em uma sociedade moralista. Lado a lado com Sade (que não tinha nada de sutil), E. L. James é uma virgem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raphael, realmente E.L. James é uma moça virgem se for colocado em frente ao Marques de Sade, por falar nele, ainda não tive coragem de ler as Obras deles, não é medo mais acho que o meu psicológico não está preparado, D.H. Lawrence tem uma forma sutil de escrever, mais que as vezes é maçante. Ele sabe dosar e misturar o erotismo com pitada de romance e o erotismo dele não é aquela coisa chula quase animalesca que hoje está muito banal, mais algo carnal de Homem com Mulher.
      Obrigado por seu comentário foi muito informativo. Bjos

      Excluir